Documento sem título

 NAVEGUE
 Principal  
 Agenda  
 E.B.D.  
 Estudos  
 Galeria de Fotos  
 Meditações  
 Mensagens (texto)  
 Mensagens (vídeos)  
 CRISTO LIBERTA
 Quem somos  
 Bispo Tiezzi  
 Congregações  
 Fale conosco  
 SERVIÇOS
 Leia a Bíblia  
 Plano de Leitura  
 Guia Comercial  
 ADICIONE




Dê o testemunho
daquilo que o
Senhor fez na sua
vida... Agende com
antecedência!

Procure os Pastores
Sérgio Cruz e
Gutemberg Viana.



Este site é melhor visualizado em
1024 x 768 pixels ou superior.
Use o
Internet Explorer
5.5 ou superior.



Santidade é uma obrigação
“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam conservados irrepreensíveis”. (I Tessalonicenses 5.23)

Santificação: palavra do grego (agiasmos), quer dizer: separar do mundo, apartar-se do pecado, consagrar a vida e tornar-se santo.

Além do termo santificar, o padrão bíblico da santificação é expresso em termo tais como em:

(Mateus 22.37) “Amarás ao Senhor teu Deus, de todo o teu coração, e de todo o teu pensamento”.

(2 Coríntios 7.1) “Purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor a Deus”.

(Romanos 6.19) “Assim apresentai agora os vossos membros para servirem a justiça para a santificação”.


Tais versículos descrevem a operação do Espírito Santo mediante a salvação em Cristo, pela qual Ele nos liberta da escravidão dos vícios e do poder do pecado.

Cristo santifica e o Espírito Santo santifica, conforme declaramos acima, mas o próprio crente também se santifica, cedendo às influências divinas e aplicando os meios normais de adoração e purificação, se afastando do pecado, com a oração e o estudo da Palavra de Deus.

Esses são os meios que competem ao crente aplicar a si mesmo, afim de que o Espírito Santo, por sua vez, opere na sua vida.

A santificação consiste na: “Transformação moral do crente, segundo a imagem de Cristo”.

(Efésios 4.13) “Até que todos cheguemos a unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, a medida da estatura de Cristo”.


I – O segredo é Deus que opera em nós.

Esse é o segredo glorioso da santificação.

(Atos 1.8) “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra”.

Os mandamentos de Deus são acompanhados pelas promessas de que o mais Ele fará. A vida cristã não se resume apenas em um rol de bem intencionados e práticas religiosas, é uma nova atitude do coração. De acordo com a Bíblia, ela implica em morte e ressurreição do nosso ser.

Conta-se um fato a respeito de Martinho Lutero, o homem que Deus usou para a reforma evangélica e para trazer a Bíblia de volta para o povo. Alguém bateu na porta de sua casa e ele foi a atender. Depois da pergunta se o Dr. Martinho Lutero residia ali, respondeu: “Não, ele morreu, quem mora aqui agora é o Senhor Jesus.” O homem sai apavorado, pensando ser um fantasma...

O reformador fez uma referência daquilo que o apóstolo Paulo escreveu em Gálatas 2.20 “Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim”.

Que senso de amplitude tal pensamento confere a nossa experiência cristã! Onde antes afirmávamos os nossos títulos de estudo ou nossos recursos, agora notamos que a boa obra de Deus coloca em nós algo muito maravilhoso e passamos a contar com os recursos ilimitados de Cristo. Isto nos leva a mostrar ao nosso Deus a nossa gratidão pelo dom da salvação e da vida eterna.

II – Mais que gratidão.

E é assim que a gratidão se torna a grande motivação de nossa vida. Embora haja uma parcela muito grande de verdade nisto, precisamos examinar essa questão com mais atenção, pois corremos o risco de nos envolver em um processo sutil de justificação pelas obras.

Se a vida cristã é uma luta gerada pela gratidão, então é fácil cairmos no erro de querer pagar a nossa salvação.
Salve-se agora, e pague depois. Porém, nós somos justificados pela fé e não pelas obras.

(Mateus 5.16) “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está no céu.”

O nosso dia a dia é muito afetado por essa grande libertação que tanto temos falado.

A santificação tem um sentido mais amplo, é mais que uma luta gerada pela gratidão. É uma vida que começa na fé, mas não apenas inicia, ela continua pela fé.

(Colossenses 2.6) “Como, pois, recebeste o Senhor Jesus Cristo, assim andai nele”.


III – Alguns exemplos de vidas consagradas.

Estudando a Bíblia, encontramos uma série de personagens que tiveram uma experiência pessoal com Deus. Receberam a Graça de Deus e isto os fez corajosos, ousados e piedosos. Somente a unção de Deus pode mudar o coração humano.

1 – Enoque agradou tanto a Deus, que Ele o levou consigo sem passar pela morte.

(Hebreus 11.5) “Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte e não foi achado, porque Deus o transladara”.

2 – Elias foi levado ao céu em um redemoinho.

(2 Reis 2.11) “E sucedeu que, eles andando e falando, eis que um carro de fogo com cavalo de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho”.

3 – Moisés subiu ao monte Nebo, viu a terra prometida, e ninguém achou o seu corpo porque Deus o sepultou.
(Deuteronômio 34.6) “Este o sepultou num vale...”

4 – Estevão, o primeiro mártir do cristianismo, enquanto caia sobre ele uma chuva de pedra que o mataria, usou as palavras de Cristo:

(Atos 6.15) “Viram o seu rosto como o rosto de um anjo”.

(Atos 7.60) “Senhor, não lhes impute este pecado. E tendo dito isto, adormeceu”.


5 – João, o apóstolo do amor, podia exortar a buscar o perfeito amor, porque recebendo este amor afastaria o medo e o pecado e poderia viver em santidade.

(I João 4.18) “No amor, não há temor; antes, o perfeito amor lança fora o temor, porque o temor tem consigo a pena, e quem teme não é perfeito em amor”.

6 – Charles G.Finney, um gigante da fé em nossa era, que sacudiu a sociedade de seu tempo, dizia que o avivamento não é mais longe do que uma safra de trigo, semeia e recolhe. Em qualquer lugar pode obter-se um avivamento do céu, quando almas valentes entrarem numa luta, determinadas a vencer ou morrer se for necessário, ou vencer e morrer.

(Mateus 11.12) “E, desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele”.

Hoje ninguém quer esforços nem sacrifícios para servir a Deus. Todos desejam bênçãos sem sacrifícios.


Epílogo.

Terminando, desejo enfatizar este versículo: I Pedro 1.16 “Sede santos, porque eu sou santo”.

Santidade é uma ordem para todos nós que somos chamados para sermos santos. Os dons podem ser diferentes, mas a santidade deve ser a mesma para todos. Somente os verdadeiros convertidos têm testemunhos de uma vida de santidade, que se deve conquistar passo a passo, pois ninguém dorme pecador e acorda santo.

O Espírito Santo nos revela os erros que devemos deixar, e somente quem vive debaixo da unção de Deus pode deixar este marco neste mundo.



“Amar é a minha vida e abençoar é a minha mensagem”

Mensagem Postada em 15/02/2015 por: Bp. Tiezzi

       


Conheça outros trabalhos dentro do nosso Ministério.




Desenvolvimento e Hospedagem